quarta-feira, 6 de julho de 2011

Simões destaca Festival e defende fortalecimento do cacau


O deputado federal Geraldo Simões registrou, em pronunciamento no Congresso Nacional, a realização em Ilhéus, do III Festival do Chocolate da Bahia. Ele confirmou sua participação no evento, que será prestigiado pelo Governador Jaques Wagner. O Festival é fruto do trabalho da pareceria entre o Instituto Cabruca, Associação dos Produtores de Cacau (APC), Associação de Turismo de Ilhéus (ATIL) e Costa do Cacau Convention Bureau, Secretarias municipal e estadual do Turismo e M21 Eventos.
           Os organizadores prometem, para este ano muitas novidades e animação, com a realização de concursos premiando o melhor chocolate e a melhor amêndoa, exposições e a presença de renomados palestrantes nacionais e estrangeiros, especialistas em chocolate. Na abertura do Festival os produtores de cacau e chocolate fino programaram uma merecida homenagem ao Governador Jaques Wagner, pelas medidas de revitalização da lavoura cacaueira e a retomada da posição do Sul da Bahia no cenário nacional.
             Para Geraldo Simões, “este evento é particularmente gratificante para fortalecer nossa atuação em defesa da produção cacaueira, marcada pelos projetos Cabruca (PL 4.995/2009), que dispõe sobre o sistema tradicional de produção cacaueira e pelo projeto do Chocolate (PL 851/2011) que defende percentuais de teores de cacau nos produtos que levam o nome de “chocolate”, além das iniciativas realizadas para o fortalecimento do PAC do CACAU, inclusive a modificação da MP 500, prorrogando o prazo de renegociação dos débitos dos cacauicultores. Tenho a firme convicção, Senhor Presidente, que ações como estas fortalecem a produção regional e colaboram para a retomada do desenvolvimento”.
             O deputado anunciou que já retomou as renegociações com o Executivo para ampliar mais uma vez o prazo de vigência da Lei nº 11.775/2008, sobre as renegociações das dívidas dos produtores de cacau, possibilitando a continuidade das renegociações ainda pendentes. No início deste ano o prazo tinha sido prorrogado até 30 de junho. Vencido este prazo, ainda restam 5.270 contratos a serem regularizados, o que me motiva a continuar defendendo a prorrogação do prazo até 31 de dezembro de 2011.

Nenhum comentário:

Postar um comentário