sexta-feira, 28 de janeiro de 2011

Efetivada a 1ª venda de produtos da agricultura familiar para a China



A boa e gostosa cachaça de Abaira, as saborosas geléias de goiaba, manga, maracujá e umbu e as frutas conservadas produzidas em Canudos, Uauá e Curaçá, o café gourmet de Piatã, na Chapada Diamantina, premiado em concursos nacionais, a deliciosa banana-passa de Ubatã, o doce de leite de cabra do município de Valente, o mel de Miguel Calmon e da Chapada Diamantina, e os chocolates finos da fábrica Amma, de Salvador, e da recém inaugurada fábrica de Ibicaraí, alem das polpas de frutas produzidas em Feira de Santana pela Brasfrut.
Esses são os produtos da agricultura familiar baiana que fazem parte do primeiro lote a ser exportado nos próximos dias para a China. O negócio foi fechado na última quarta-feira, (26), durante reunião no escritório de negócios da agropecuária baiana em Pequim, entre o secretario estadual da Agricultura, engenheiro agrônomo Eduardo Salles, o gestor da Apex na China, Cesar Yu, e a funcionária do escritório, Helena Roung, com os proprietários das empresas Casa Brasil, Daniel Aldana, e do Restaurante Alameda, Daniel e Eiko Chih.
O secretário Eduardo Salles informou que “este é um pedido inicial, que será enviado por via área, como um projeto piloto. O interesse pelos produtos da nossa agricultura familiar é crescente e, em breve, pedidos maiores serão feitos e enviados por via marítima”. Salles disse ainda que durante a reunião, além da renovação do contrato com a Apex para manutenção do escritório do governo baiano na China, foi feito o planejamento para 2011, do qual fazem parte a participação da Bahia nas feiras Fial, em Xangai, no mês de maio, e na Feira da Indústria Alimentícia, Hospedagem e Venda Atacadista, (FHC), também em Xangai. “No mês de abril faremos uma semana gastronômica da Bahia em Pequim, nos restaurantes Casa Brasil e Alameda”, disse o secretário, informando que a presidente Dilma Rousseff será convidada para o evento.
Os produtos da agricultura familiar que estão sendo exportados para a China são produzidos pelas Cooperativa dos Produtores Associados de Cana e seus Derivados de  Abaíra, Coopama; Cooperativa Agropecuária Familiar de Canudos, Uauá e Curaçá, Coopercuc; Associação de Desenvolvimento Sustentável e Solidário da Região de Valente; Associação Comunitária de Água Branca, e Associação de Apicultura de Vale do Capão.  “O objetivo é que o escritório de negócios da agropecuária baiana em Pequim dê apoio às cooperativas e associações de agricultores familiares. Ele analisa que “desta forma estamos plantando sementes num mercado de 1,3 bilhão de consumidores, que cresce 9% ao ano”.

Nenhum comentário:

Postar um comentário