quinta-feira, 1 de dezembro de 2011

Editorial: do dia 1º dezembro de 2011


O problema dos outros

Problema é algo que todo mundo que habita o planeta terra, com certeza deve ter. Eles se manifestam em intensidades e formatos diferenciados e não fazem distinção ante a cor, religião ou classe social da pessoa em questão para que se manifeste. Eis uma coisa genuinamente democrática. Ninguém está a salvo de tê-lo como companheiro, nem que seja por alguns instantes. As suas facetas e formas são variadas. Pode ser um problema de saúde, algo envolvendo dificuldades de relacionamento, empecilhos no trabalho, e por aí vai. Uns mais graves e outros nem tanto. Mas uma coisa é certa, quem por acaso tiver problemas na vida, desde que tenha sã consciência, a palavra de ordem sempre será a busca por uma solução, seja imediata ou gradativa. Ninguém almeja viver carregando o peso de uma problemática cruz nas costas para o resto da vida. Mesmo que ela seja na medida certa para que suportemos carregá-la. Cabe exclusivamente à nós buscarmos forças necessárias para vencê-los. Isso é fato.
Mas, há de se ressaltar, existem alguns problemas, que infelizmente não cabem exclusivamente à nós para que sejam solucionados.  Tais, geralmente, costumam afligir a sociedade como um todo e se manifestam em várias áreas e aspectos diferenciados. Vejamos, na edição do DI de ontem, noticiamos como manchete principal que a Embasa poderá ser condenada a pagar uma indenização coletiva no valor de R$ 100 mil para moradores de alguns bairros de Ilhéus, por estar oferecendo há cerca de seis anos, oferecendo água de forma irregular e de baixa qualidade. Vejamos a questão: a comunidade sofria com um problema que não era de sua culpa, além de pagarem pelo serviço, os responsáveis foram devidamente noticiados, não buscaram resolver a situação, e agora provavelmente terão que pagar pelo desserviço oferecido.
Quantas vezes nos vemos imersos problemáticas que, claramente não são de nossas responsabilidade? Muitas. São ruas esburacadas, crateras no meio das vias, vazamentos de esgoto, ruas sem iluminação pública, falta de segurança, serviços públicos de saúde e educação ineficientes, etc. De quem é a culpa por essas situações se sucederem? Nós, cidadãos de bem, buscamos cumprir com as nossas obrigações, pagar nossos impostos, dentre outras coisas. Apesar disso somos obrigados muitas vezes a conviver com problemas que, nada mais nada menos são fruto da incapacidade de gestão de algumas pessoas. Lamentável.

Nenhum comentário:

Postar um comentário