quinta-feira, 4 de agosto de 2011

Melhoria do ambiente escolar é debatida


Fortalecer uma grande parceria com os diversos órgãos competentes do município com o objetivo de promover a melhoria do ambiente escolar que, cada vez mais, vivencia inúmeras transgressões praticadas por educandos. Esta foi a proposta central de uma reunião realizada na manhã de ontem (3), no Instituto Municipal de Ensino Eusínio Lavigne (IME-Centro), localizado na avenida Canavieiras, em Ilhéus. O encontro contou com a presença da secretária municipal de Educação, Lidiney Campos, da promotora de Justiça Karina Cherubini, do diretor-geral do IME, Eduardo Souza, e da supervisora-pedagógica Célia Miranda, além de representantes do Colegiado Escolar, dos pais de alunos no Colegiado Escolar, da Polícia Militar e do Conselho Tutelar.
            “Nosso desejo é passar a contar, de forma mais efetiva, com estes parceiros institucionais visando sanar ou pelo menos amenizar os diversos problemas ligados ao comportamento inadequado de alguns alunos”, explica a secretária Lidiney Campos. Segundo ela, o principal desdobramento do encontro deverá ser o estabelecimento de algumas medidas sócioeducativas, instrumentos que poderão ser utilizados pelo IME com a finalidade de coibir excessos e situações que deponham contra o bom andamento do processo de ensino-aprendizagem. “As normas existem para regular as relações entre os diversos grupos e indivíduos. Assim, quando o aluno entra na escola ele precisa entender que também precisa observar determinadas regras”, completa Lidiney, acrescentando que a idéia é levar a iniciativa para as demais unidades.
            Falando acerca das contribuições de cada instituição, a supervisora pedagógica Célia Miranda disse que o Ministério Público estadual pode contribuir respaldando as medidas sócioeducativas implementadas. Já a Polícia Militar, na visão da educadora, pode ajudar reforçando ações preventivas, como, por exemplo, a ronda escolar. “Com relação ao Conselho Tutelar, buscamos uma maior proximidade e respostas frequentes para os diversos tipos de intervenções pedagógicas. No que concerne ao colegiado escolar, a expectativa é de que ele continue fiscalizando todas as ações desenvolvidas na unidade. Por fim, os pais podem e devem fazer o que deles se espera. Ou seja, educar, acompanhar e exigir de seus filhos uma mudança de comportamento”, comentou.

Nenhum comentário:

Postar um comentário