quarta-feira, 4 de janeiro de 2012

Não falem de nós

Bairrismo é algo que não nos agrada muito. Cremos nós que os partidários de tal sentimento são pessoas de concepções bastante limitadas. Onde já se viu crer que o lugar que reside no planeta seja de natureza superior ao dos outros lugares. Vejamos, caso todas as pessoas fossem bairristas, estávamos sujeitos a termos localidades isoladas, com pessoas que não se comunicariam e nem trocariam informações e conhecimento. Vejamos, de acordo com a definição clássica do termo, mais precisamente do partidário do bairrismo, ou seja, o bairrista, é a pessoa que, levada por uma visão estreita do patriotismo, só considera como sua pátria o estado natal e hostiliza ou menospreza tudo quanto se refere aos demais. Na nossa opinião, uma grande e clara demonstração de idiotia. Atentemos que a palavra nacionalismo é citada na definição, o que para nós, também caso seja levado ao extremo não é lá uma comprovação de muita sabedoria. Nada impede que amemos o nosso país, mas daí para querermos nos fechar para as outras culturas, ao prazer do intercâmbio cultural e afins, é um sentimento que, definitivamente, queremos distância.
 Em nossa Ilhéus, durante algum tempo o bairrismo era um sentimento bastante corriqueiro. Achávamos que não precisávamos das outras cidades, devido à pujança econômica propiciada pela lavoura cacaueira. O pedantismo se fez presente, e, cogitou-se até mesmo nos separar do restante da Bahia e assim ser criado o estado de Santa Cruz. Orgulhávamos em afirmar que boa parte de Salvador tinha sido erigida graças aos dividendos propiciados pelo fruto dourado cultivado em nossas terras. O tempo passou, impérios considerados inabalados ruíram, mas, alguns sentimentos que remetem à época de fartura ainda perduram. Somos bairristas sim, disso não nos restam dúvidas.
Uma prova disso foi a mobilização revoltosa contra a veiculação de alguns vídeos que explicitavam alguns problemas que a nossa cidade enfrenta. O motivo da insatisfação foi que, o autor dos vídeos foi um australiano que reside em Ilhéus. Mesmo que nós saibamos que a cidade padece de graves problemas sociais e administrativos, que temos graves problemas com a coleta de lixo, com moradores de ruas, com menores drogados, etc. Mesmo que isso cotidianamente se explicite aos nossos olhos, não aceitamos que venha alguém de fora nos mostrar isso. Cremos que se trata de uma humilhação, de que caso esses vídeos cheguem ao exterior, será uma propaganda negativa da cidade. Mas não esqueçamos, que, tudo o que os vídeos mostram, é a mais pura verdade. Ante isso, melhor seria que nos preocupássemos em resolver os problemas do que colocar a culpa no gringo. Pensemos nisso. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário