segunda-feira, 2 de janeiro de 2012

Editorial: do dia 30 dezembro de 2011


Depende de nós

      Pois é, há exatamente um ano eis que aqui estávamos nós escrevendo sobre mais 365 dias que se findavam e que a partir dali um novo ciclo envolvendo 12 meses teria início. Passou rápido, até parece que foi ontem.  A cada ano que passa a impressão que temos é que eles cada vez mais passam rápido. Talvez seja pela velocidade em que as coisas no mundo contemporâneo se sucedem, brindado pelo imediatismo que regem as propagações de notícias e informações. Algo que se sucedeu semana passada provavelmente estará fadado ao esquecimento, pois assuntos mais importantes logo surgirão, nos dando a impressão de que as coisas importantes possuem data de validade. E nessa lógica os dias, semanas e meses vão passando e nem nos damos conta. E eis que já estamos prestes a brindar a chegada de mais um ano. Que esse 2012 seja bem vindo, como sempre todo ano novo é. E cabe a nós não só desejarmos parados com os braços cruzados, mas fazer acontecer. Caso contrário, o ano passará novamente e aqui estaremos nós, esperançosos de que as coisas boas aconteçam em 2013.
Temos o hábito de sempre que essa época chega, culminando no dia da virada, de sermos deveras otimistas e esperançosos. Nada contra, afinal, a passagem de ano é algo simbólico. É um ciclo que se finda e outro que tem início. Não deixa de ser uma espécie de rito de passagem. E se é algo que remete a um suposto simbolismo, é sempre importante canalizarmos energias positivas, para nós e as pessoas que amamos. Afinal de contas serão mais 365 dias de muita correria, trabalho, contas para pagar, sonhos a serem realizados, risos, alegrias, vitórias, etc. É mais um dia que terá início, mas que nos foi convencionado a celebrá-lo, pois, como afirmamos, é um ciclo que se fecha e outro que será iniciado. 
Vamos tentar fazer desse 2012 que está para nascer, um ano diferente. Afinal de contas é um ano bastante decisivo, politicamente falando. Mais uma vez teremos a oportunidade de escolhermos o gestor do nosso município. E, junto a isso, darmos uma contribuição irrefutável no que poderá ser uma evolução, estagnação ou derrocada. Tudo depende de nós. Somos nós que temos o poder de fazer dos nossos “anos novos”, melhores. A receita é simples e infalível. Por isso que, mais uma vez, desejamos a todos um ano de realizações e transformações positivas. Afinal de contas, depende de nós.

Nenhum comentário:

Postar um comentário