quinta-feira, 22 de setembro de 2011

Editorial


Pensando no futuro

Vez ou outra nos utilizamos desse espaço para refletirmos sobre os tempos passados, o presente e os dias que ainda estão por vir, ou, como é comumente chamado: o futuro. Em relação ao chamado passado, ou o “tempo que não volta mais”, o que poderíamos falar? Tudo. Isso mesmo, tudo. Pois, tudo o que somos hoje é fruto das nossas ações há tempos atrás. Digamos que no presente colhemos os frutos semeados no passado. Se o semear foi positivo, o que há de ser colhido seguirá os padrões. Caso contrário, os frutos não fugirão à regra. Dentro dessa lógica, que cremos nós trata-se de uma verdade inquestionável, a cada dia que vivemos, a cada hora, segundo, etc, estamos, além de vivendo, é óbvio, plantando e delineando o que será o nosso futuro. Todas as nossas atitudes refletirão nos dias que ainda estão por vir. Não há como fugir a isso. Não há como varrer a sujeira para debaixo do tapete. O Tempo é sábio, e nada foge do seu domínio.
Da mesma forma que tal regra infalível se aplica a cada um de nós, ela também abarca os possíveis rumos a serem seguidos pelas nações, estados e cidades. Por isso, cada gestor em questão deve agir não só pensando em resolver positivamente e dar positivos contornos às coisas imediatas, mas, trabalhar tendo como foco o futuro. Esse tipo de postura terá importância grandiosa, e definirá a qualidade de vida de toda a população. Vejamos, se pararmos para analisar a grande maioria dos problemas que afligem a coletividade, eles se referem diretamente com erros ou negligências cometidas no passado. E, os problemas futuros, sem sombras de dúvidas, na grande maioria se relacionarão com situações negligenciadas hoje em dia. Um bom exemplo para essa questão se sucedeu na capital baiana, na época da construção da avenida Paralela, na década de 70. Na época, criticou-se, afirmando que tal via não teria utilidade, e hoje, seria inconcebível o trânsito de Salvador sem ela. Ou seja, agiu-se pensando no futuro.
E em Ilhéus? Eis a questão. Cremos que o futuro de variados setores será determinado pela ação dos nossos gestores nos dias de hoje. E uma desses setores com certeza é o trânsito. Há poucos anos, na época do verão, quando a cidade se enchia de veículos de outras cidades, fazer o trajeto centro-zona sul, em horários de picos, era uma verdadeira tormenta. Passou o tempo e esse problema agora é diário. Caso nada seja feito, para que essa situação seja resolvida, Ilhéus terá um fluxo de trânsito definitivamente caótico. Principalmente em tempos onde muito se fala em expansão demográfica, devido aos empreendimentos que batem à nossa porta. Mais do que nunca os nossos gestores devem agir pensando nos dias vindouros. Caso isso seja negligenciado, a qualidade de vida local estará completamente em xeque. Quer dizer, para muitos tal expressão já é algo inexistente. Mas as coisas podem melhorar, ou piorar. Depende deles. Ou melhor, depende de nós.

Nenhum comentário:

Postar um comentário